Pessoal Vida em Geral

Sobre Algumas Frases e Ditos Populares

“No final, tudo dá certo.”

Permitam-me educadamente discordar. Se a sua experiência pessoal diz que você passou por momentos realmente ruins onde tudo deu certo no final, principalmente se a postura adotada foi a de passageiro, ou foram poucos ou foi uma sorte estatística. Se deu certo, foi porque alguém trabalhou para tal (pode ter sido você mesmo), ou alguma força interna ou externa contribuiu para este resultado. Não se engane: tome o controle da sua vida, as rédeas do seu eu e faça o seu final. Lembre-se:

“você não pode mudar o vento, mas pode ajustar as velas”.

Isso vale para todas as frases do tipo, como “se não está bom, é porque ainda não acabou” e afins.

“O ótimo é o inimigo do bom”.

Muito cuidado com essa afirmação. Se é para dar moral a frases assim, prefira essa, pelo motivo correto:

“Seja o melhor – o mundo está cheio de nota 7”.

Acho que o raciocínio aqui é auto explicativo. A idéia é simples – se você pratica arco e flecha e mira na mosca, nunca acertará. Você precisa compensar pelas intempéries da vida, pelas coisas inusitadas, imprevistas ou, de forma mais direta, pelas forças contrárias. Claro, bom senso sempre (e em qualquer situação), é fundamental, para não se correr o risco de buscar a perfeição e nunca acabar.

Mas não concorde com a afirmação de que SEMPRE é preferível acabar. Essa frase virou desculpa para a incompetência de muitos! Na maioria das vezes, temos, sim, que criar as situações e oportunidades, ACABAR, não importa o que aconteça, e entregar resultados fantásticos. Viva para se superar e ser o melhor, não para ser mediano ou medíocre.

Ah! Não se esqueça: não confunda falhar com não acabar algo ou fazer mal feito. Falhar faz parte do processo de evolução humana e deve ser visto como algo positivo.

Aproveitando: você conhece alguém que usou essa frase, voltou e melhorou o que tinha sido feito?

Se me permitem, na minha opinião, o certo é: “o bom é inimigo do ótimo”.

“Não me traga problemas; me traga soluções”.

Um pedido frequente que parece invocar o pensamento pró-ativo, mas que traz uma situação inusitada: promove uma cultura justificatória e limita a solução ao conhecimento de um indivíduo ou de poucos. Está mais para desculpa da alta gestão em não se envolver ou transferência de responsabilidades.

Não perca a oportunidade de colher problemas! De fato, entenda-o e permita que uma visão global e participativa encontre a melhor solução. Crie a cultura de envolver as pessoas certas e recompense a honestidade e as soluções originais… Mas não se arrisque a ter um problema se transformando em um problemão ou ser varrido pra debaixo do tapete porque alguém resolveu se abraçar à ele com medo de você ou do “chefe”.

 “Contra fatos não há argumentos”

Essa precisa ser bem usada. Muitas vezes, é colocada para proteger o status quo e isso deve ser evitado. Se você olhar um pouco para o passado, verá que a nossa história é repleta de exemplos onde os ditos “fatos” foram derrubados por alguém que não acreditava em alguma impossibilidade, pelo avanço da ciência ou pela própria evolução do ser humano em tantas áreas.

O fato de ontem pode ser argumento de hoje e a piada de amanhã.