Pensamentos Com Vida Própria Vida em Geral

Amor Próprio

Parece que quando uma pessoa não tem amor próprio suficiente, cede aos mais variados pensamentos, emoções e ações em favor de ser aceito e ser amado para compensar a falta do primeiro.

Talvez o equilibro seja tênue e o parágrafo anterior leve o leitor a achar que a condição acima é de não ter amor próprio.

Ao realizar uma autoanálise do passado, a impressão que tenho é de que a baixa autoestima provoca um recolhimento desse amor… mas eu não sabia o quanto. Nem por quanto tempo. Talvez apenas o suficiente para que o equilíbrio seja ameaçado.

Até agora. Agora parece que entendi. Que bom que aprendi ao perceber uma mudança potencialmente positiva.

Quando ele se torna suficientemente grande, a cessão ao externo se encerra.

Tendências de pensamentos, emoções e ações mudam, como num estalar de dedos.

Mentira.

Não foi num estalar de dedos.

Demorou.

Como uma bola arremessada ao longe, ela sobe e eventualmente desce… atraída pela força da gravidade.

Se arremessada em um ângulo fechado ou pequeno, dependendo da força, esse ponto onde ela deixa de subir e começa a descer pode ser imperceptível.

Mas ele ocorre.

É como se ele tivesse acabado de ocorrer.

Sinto isso dentro de mim.

Algo mudou, algo profundo aconteceu e eu acho positivo.

Antes só doía… dor sem sentido.

Tá, não tão ausente de sentido, afinal, ela levou ao momento presente.

Mas agora a dor é sinônimo de mudança. E…

De aceitação?

Não. Talvez a aceitação não seja parte da dor, apesar de mudança.

A aceitação parece ser a solução à dor mesmo com toda a mudança.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.